QUADRILHA DO BOM JARDIM, O MAIS NOVO PATRIMÔNIO IMATERIAL REGISTRADO, REALIZA APRESENTAÇÃO NA FEIRINHA TRADICIONAL DO M

 

Publicado em: 09/09/2019 16:43 | Fonte/Agência: ASCOM

Whatsapp

 

A Quadrilha São João do Bom Jardim é o nome dado à festa junina que acontece na comunidade rural chamada Bom Jardim. Sua história está ligada com a narrativa dessa população. Com o desenvolvimento crescente da cidade de Várzea da Palma, as comunidades rurais também tiveram sua evolução, trabalhando por melhores infraestruturas. A comunidade rural Bom Jardim não sofreu grandes modificações relativas à modernização urbana desde sua criação. De acordo com Eleni Soares Aguiar, seu avô, Antônio Soares de Rocha, produtor rural, possivelmente oriundo da região rural de Santa Rita, hoje pertencente ao município de Lassance, foi um dos primeiros moradores da região. Chegando ao Bom Jardim, encontrou uma família de lavradores, que já morava no local, Manuel Pinto e sua esposa Maria Francisco Pinto. Antônio Rocha foi um dos maiores proprietários de terra da região e foi casado com Raimunda Maria de Almeida, possuindo dois filhos: Divino Soares da Rocha e a Teodomira Soares da Rocha. Ambos moravam na zona rural do Bom Jardim, saindo apenas com idade avançada. Com o passar do tempo, novos moradores chegaram, aumentando o número de casas, mas permanecendo o local ainda um lugar pequeno. Atualmente a região conta com 25 casas e os habitantes, em sua maioria, são produtores rurais. Além da moradia desses produtores rurais, outras casas são usadas para passeio de final de semana de pessoas que moram em Várzea da Palma. Buscando benfeitorias para a região do Bom Jardim, as entrevistadas Eleni Soares Aguiar, Marlene de Fátima de Almeida e Aldemira Viana Soares contam que, durante anos, os moradores se reuniam mensalmente, cada vez na residência de um deles, para discutir ações para as melhorias da comunidade. Nessas reuniões havia a presença do funcionário Marilson Dalla Bernadino, da EMATER/MG – Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais - como parceiro de assuntos relativos à infraestrutura e à produção rural. Num dado momento, a EMATER aconselhou a criação de uma associação para facilitar o processo burocrático de solicitações enviadas e recursos recebidos. Foi assim que, em 1995, nasceu o CODEC – Conselho de Desenvolvimento Comunitário do Bom Jardim. De acordo com a primeira ata, datada de 18 de abril de 1995, a reunião ocorreu na casa do Arnaldo Soares da Rocha e teve como objetivos a fundação de uma associação, a aprovação de um estatuto, a eleição de uma diretoria executiva, do conselho fiscal e empossar seus membros. A primeira diretoria ficou assim definida: presidente Arnaldo Soares da Rocha; vice-presidente Joviano Soares de Abreu; secretaria Kênia Viana da Rocha; vice-secretário Niwton Pinto Magalhães; tesoureiro João Nogueira dos Santos; vice-tesoureiro Geraldo Magela de Araújo; primeiro conselheiro fiscal Antônio Carlos Fulgênio; segundo conselheiro fiscal Nezino Mendes de Oliveira; terceiro conselheiro fiscal Geraldo Soares Santana. No ano de 2006, os associados do CODEC resolveram construir uma sede, nominada de Centro Comunitário do Bom Jardim. A primeira reunião na nova sede ocorreu em 21 de outubro do mesmo ano, como documentado em ata. No ano seguinte da construção da sede, já foi discutida e realizada a primeira festa junina do Bom Jardim. O terreno para a construção foi doado pelos associados Aldemira Viana Soares e seu marido Arnaldo Soares da Rocha, quando ainda era presidente do CODEC. Fonte de Informação:  Dossiê de Registro Municipal /Setor Cultural.